Gilberto Brandão Marcon

Escrever é um encontro marcado com a própria alma.

Textos


Enamorados



Fulgor, fogo impávido, cálida alma,
Sopro, palavras, batidas de corações.
Lembranças, memórias, fotografias,
Partes de um passar, que parece não ir.
Saudades, saudade de que?
Saudade de si, saudade que será,
Pois o tempo é lépido, é atropelo,
O cérebro quer entender,
Mas o coração já há muito sentiu.
Lua enamorada lua, ouvinte,
Hoje não ouve, mas diz confissões.
Mãos dadas, olhos nos olhos,
E olhar, o quanto guarda um olhar?
Graça do mistério que não desvenda-se,
Pois o encanto nasceu para encantar,
E não para ser desvendado.
Voz que ficou. Hálito sobre a epiderme,
Toque pulsares cardíacos.
E dois sons unem-se em um só.
Vida a dois, pois que já não graça no só.
Pois que partilhado, pois que acaba-se partido,
Partes um do outro.
Um todo de dois, pois só será incompleto.
Enamorados,
Namorados,
Pois que o amor não espera,
Não manda recados,
Mas apenas aquece os coraçõe
s.
Gilberto Brandão Marcon
Enviado por Gilberto Brandão Marcon em 29/06/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras